Confuso sobre as opções de crédito pessoal?

Decidiu pegar um empréstimo e está confuso sobre qual a melhor opção para você? Primeiro, saiba que oferecer garantias à instituição financeira, como um veículo, é uma maneira de baixar a taxa de juros. Mas lembre-se que, se você atrasar o pagamento das parcelas, pode perder esse bem.

Opções de crédito pessoal

A taxa de juros também representa o nível de risco que a instituição financeira enxerga em você. Um funcionário público, por exemplo, tem um risco muito menor de ficar desempregado e perder renda do que um empregado da iniciativa privada. Logo, a taxa de juros é menor para quem trabalha para o governo.

Conheça os tipos de empréstimo pessoal e veja os prós e contras de cada um.

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal “comum” é como comprar dinheiro de uma instituição financeira. O preço para ter acesso a esses recursos é a taxa de juros que será acrescentada às parcelas mensais. Nessa opção, você não precisa dar nenhum bem em garantia e o pagamento é feito via boleto ou débito automático. Só pessoas físicas podem pedir um empréstimo pessoal. Geralmente, existem opções já pré-aprovadas em seu banco, mas é essencial pesquisar antes de fechar o contrato.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado traz as parcelas descontadas já na folha de pagamento do trabalhador. O risco é baixo para a instituição financeira, o que ajuda a diminuir a taxa de juros. Aposentados, pensionistas do INSS, servidores públicos e trabalhadores do setor privado podem solicitar um empréstimo, mas é preciso checar alguns detalhes.

1 - A taxa de juros é menor para aposentados, pensionistas e servidores públicos porque o risco de o salário parar de ser pago é muito baixo.

2 - Para os trabalhadores do setor privado, é preciso pesquisar se a sua empresa possui convênio com algum instituição financeira. É mais comum que grandes companhias ofereçam o consignado do que as pequenas e médias.

3 - A concessão do crédito consignado depende de quanto a sua renda está comprometida, que é conhecida pelo termo margem consignável. O limite é de 35%, ou seja, esse é o máximo que uma parcela pode representar da sua remuneração.

Empréstimo para antecipação de 13º salário ou Imposto de Renda

As antecipações de 13º salário e da restituição do Imposto de Renda são boas opções para quem busca um crédito emergencial. Isso significa que são valores que você já sabe que vai receber, mas aceita pagar um preço (que é a taxa de juros) para antecipá-los. Essa operação é feita através do seu banco. Quando você recebe o 13º salário ou a restituição do Imposto de Renda, o dinheiro é descontado automaticamente para quitar a dívida.

A antecipação desse dinheiro traz um custo embutido para o consumidor na forma de taxa de juros. Logo, vale comparar com outras taxas e linhas de empréstimo para saber se o negócio será vantajoso para você.

Crédito com garantia de imóvel ou veículo

Tem um imóvel ou veículo? Você pode deixá-los como garantia e pedir um empréstimo. A taxa de juros nesse caso pode ser mais baixa do que a média porque, caso você deixe de pagar, a instituição financeira pode tomar o seu bem como uma contrapartida ao pagamento da dívida. Portanto, o risco para quem atrasa é maior, pois envolve a perda de um bem. Essa possibilidade deve ser levada em conta antes da opção por um empréstimo com garantia.

DESCUBRA SUA TAXA

O processo de contratação é bem simples: em 5 minutos você contrata o empréstimo que mais se encaixa ao seu perfil financeiro. Mas não se esqueça: é importante que seu empréstimo não comprometa mais de 20% da sua renda mensal!

Equipe Just :)

Tirando todas as suas dúvidas sobre empréstimo pessoal